Princípios

terça-feira, 4 de dezembro de 2007
Artesanato de Antonio de Castro

Agora me peguei pensando se sou mais puritano do que acho que sou. Na verdade, não acho que sou nem um pouco puritano, afinal de contas fica difícil para um jovem adolescente homossexual em período de descoberta ser puritano, mas acho que se não sou ou não o era, estou me tornando.

Hoje tive a conversa com meu ex-namorado, em meio a dores de estômago universais que me davam vontade quase incontrolável de me contorcer no início do dia. A tão esperada conversa, sentados onde tantas vezes conversamos coisas bobas, assuntos de apaixonados.

Fora uma conversa produtiva, posto que finalmente tive coragem de dizer e deixar bem claro para ele minha posição. Há um tempo eu vinha percebendo, por suas conversas no MSN e os depoimentos que são recusados no orkut, que na cabeça dele ainda pairava uma esperança de que eu ainda queria ao menos transar com ele e só não o fazia para não machucar-lhe.

Hoje esclareci as coisas. Tive coragem de dizer que não aconteceria novamente, que eu não queria porque não tinha mais vontade de ficar com ele e não para não machucar-lhe, apesar de agora ter quase certeza de que ele chegara a essa infeliz conclusão por culpa minha que o deixei pensar assim.

Depois de tudo isso e outras palavras trocadas por nós, mas que resumiam isso; ele me disse que lera o blog, esse blog, a última postagem. Gelei, de repente fiquei tentando lembrar o que eu escrevera, se havia algo que pudesse magoar-lhe no último post ou nos outros, pois nada me garante que ele também não se dera ao trabalho de ler os outros, ainda que sua conexão estivesse lenta.

Depois relaxei, era o que eu sentia e talvez fosse melhor ele saber o que eu sentia, ainda por cima de um modo que não me obrigava a dizer certas coisas chatas de se dizer. Conversamos mais, mas pedi para que não visitasse mais o blog, não me sentiria a vontade sabendo que ele lia tudo o que eu escreveria de modo tão anônimo, sob um alterego quase abstrato.

O resto do dia foi estranho, pensando nos meus amigos namorados e na fase estranha pela qual passam e na qual me vejo envolvido sem nem perceber como. De repente começo a ouvir ela fazendo declarações de amor por ele e ele acusando-a de ter visto ela traindo-o e planejando uma vingança.

Dentre as vinganças surge a oportunidade para ele de aloprar de algum modo e traí-la em grande estilo. Uma suruba organizada por ninguém mais ninguém menos que meu amigo hetero. Uma suruba com uma prostituta, sendo dividida por três amigos em um quarto de hotel barato na Lapa.

Percebi o quanto tinha nojo dele o quanto ele era diferente de mim. Se meu ex-namorado não tinha coisas em comum comigo, ele tinha coisas das quais eu não assumia nenhuma aprovação. Senti pena de sua namorada, lembrei das fotos que vi deles juntos, seu sorriso de menina nova e inocente, apaixonada por ele e criei um perfil de namorada para ela.

Aquela que ri de tudo que o namorado mais velho e vivido fala, que não sabe muito da vida e o que sabe foi ensinado pelo namorado. Nem bonita nem feia, nem legal nem chata. Boazinha, sempre disposta a ajudar aquelas pessoas que ninguém atura. Vocação para santa.

Passei o resto do dia de mau-humor e as dores aumentavam Ao fim do dia, a visita de sempre, marcando a hora que íamos embora, coisa que não vinha sendo feita ultimamente. Marcamos, e fomos. No caminho passaríamos na faculdade de sua namorada para buscá-la. Enfim conheceria a menina.

E foi realmente um prazer conhecê-la. Uma menina simpática, bonita, falante e engraçada. Sorriu a viagem inteira e me tratou na medida certa. Poupando intimidade devido ao curto tempo em que nos conhecíamos, mas tomando para si a responsabilidade de segurar uma conversa que fosse agradável e que nos deixasse a mim e a ela confortáveis.

E me deixou. Meu ressentimento por meu amigo hetero só cresceu. Como ele poderia pensar em trair uma menina que demonstrava amá-lo de verdade, numa situação tão suja quanto um sexo grupal com uma prostituta? Aquilo me parecia mais que feio, me parecia absurdo. Ele não a merecia, ela era muito boa para ele. Peguei-me julgando-o e torcendo para que ela arranjasse uma pessoa tão legal quanto ela, que tenho esperança que exista, para ele aprender a dar valor ao que tem e gosta.

Ele gosta dele, disso não duvido. Só o que ocorre é que não tem ainda maturidade o suficiente para assumir um relacionamento de verdade, baseado na cumplicidade e num sentimento de se quere bem mútuo.

Agora aqui escrevendo, percebo o quanto tudo não passara de fogo de palha. Meu amor ou sei lá que nome dar para o sentimento que tive por meu amigo hetero, ele não existiu. Sinceramente, acho que não passara de motivo imediato para terminar com meu ex-namorado, mas agora que as coisas já estão começando a ficar claras em minha mente, tem se tornado cada vez mais um motivo inútil.


PS.: Seguindo o conselho de um blog que comecei a admirar, separei os parágrafos e tentei melhorar ou ajeitar meu texto. Caso tenham mais sugestões que possam me ajudar na qualidade da minha escrita em construção, digam. Será bem ouvida, tão bem quanto às dicas sobre o tamanho dos posts. Já que vocês acham que é válido, assim como eu, postagens grandes, continuarei escrevendo sem contar linhas.

3 críticas:

kah disse...

Concordo plenamente com vc, não sei o porque desse culto pelo sexo e talz e também entendo a sua "quebra de imagem" que você tem do seu amigo hetero, mas sei que se vc gosta dele o tanto que eu entendo que você gosta isso não será o suficiente pra deixar de gostar dele, experiencia própia, e o lance de vc faculdade no mesmo canto q seu outro amigo het. eu PASSO por isso, to no 4º semestre, e o meu entrou no 1º sem. e se não bastasse ter que ver ele todo dia ainda o vejo ele se agarrando com uma menina da sala dele =\


Por mais, fique bem, torço por vc no vest. o/

A.azul disse...

seu comentário me fez ver o lado bom da coisa..
mas espero que esses momentos de solidão não sejam tão longos não!
E até eu acabei ficando compadecido da namorada do seu amigo. e eu vendo sua coragem de ter a sua conversa derradeira com seu ex, acabo criando um pouco de coragem tbm..
te mais! ^^

Rõdrigo disse...

Olá

Espero q vc passe no vestibular=P nem qro ver qndo for minha vez.

E fikei com pena da namorada do seu amigo, mta canalhisse dele!
E parabens pela conversa com seu ex, espero q esteja tdu bem.

Xauu