Última viagem

domingo, 19 de outubro de 2008
Artesanato de Antonio de Castro

Sexta-feira foi um longo dia. Começou com uma entrevista de emprego que não deu em nada, o homem que me entrevistou um químico novo porém experiente, disse que não me aconselhava sair da empresa onde trabalho atualmente, pois é uma empresa pioneira que está voltando para o mercado, sofrendo modificações e crescendo absurdamente.

É claro que eu não me convenci. Aceitei a opinião dele, pois eu nem queria mesmo trabalhar ali, mas não me convenci que meu emprego atual e o ideal para mim agora. Eu consigo coisas melhores, tenho certeza.

Mas por agora, era para lá que eu tinha que ir. Peguei o metrô e fui. Cheguei lá e o que sobrava era trabalho para mim. Trabalhei. Tive uma discussãozinha (mais uma) com meu ex-namorado, por questões profissionais, mas a isso eu já me acostumei. Acontece e dez minutos depois eu já me esqueci que discutira.

Recebi um convite para sair à noite. De um rapaz do trabalho. Ele namora. Um outro rapaz. E isso é aberto, completamente assumido. Mas ainda assim foi estranho ele me chamar para uma boate gay.

E toda essa estranheza eu decidi desabafar com meu amigo hetero. Ele respondeu que achava legal eu ir. Que se eu quisesse, iria comigo e começou a conversar quase que me convencendo a agora ir com ele.

Eu neguei, claro. Desde que a gente começou a ser amigo, sinto que ele tem a necessidade de descobrir sobre a mina homossexualidade. Na, verdade, não se trata só de mim. Ele quer descobrir sobre a homossexualidade de todo mundo que é enrustido. Ele me contava histórias sobre o carinha do trabalho antigo, que ele descobriu. E o próprio garoto lá do trabalho, o que em convidou para sair, foi ele quem descobriu.

O garoto lá do trabalho que me contou que era gay na época do carnaval, que eu sempre achei que tinha um caso com meu ex-namorado, também foi meu amigo hetero que descobriu. Descobrir talvez não seja a palavra certa. Ele quer mais é fazer com que a pessoa assuma. Só que ainda não é hora de eu assumir. E a hora que for, não será para ele. Com certeza. Ele é meu amigo? Sim, mas existem pessoas mais importantes para mim com quem eu realmente sinto necessidade de contar sobre isso. Não ele.

A conversa sobre a boate gay acabou por ali. Fomos para casa juntos, de metrô. E no caminho ele olhava para todas as mulheres que passavam, ao mesmo tempo em que encostava em mim a barriga e pedia desculpa tímido, como se sem-querer estivesse rompendo uma barreira.

Depois ele me perguntou sobre a viagem. História que eu já tinha contado. Mas já que perguntou de novo, eu contei de novo. E me chamou para uma viagem. Penedo. Ele sabe que eu estou com vontade de ir para lá e propôs a gente dividir um quarto. Eu aceitei sem ver problema em dividir um quarto com ele numa pousada de uma cidade fria e romântica, assim como um hetero faria, sem fazer grande alarde para coisa.

Mas um papinho estranho, mais uma tentativa de me ver escorregar, eu acho. Mas eu me mantive firme e forte e já começava a ficar com raiva de tanto esforço que ele estava fazendo por causa daquilo. Ele foi conversando sobre outras coisas e falando sobre mulheres que passavam, no lado de fora do metrô, dentro das estações até chegar para mim e dizer: “eu tenho um segredo pra te contar”.

Eu nunca ia imaginar o que era e inclinei minha cabeça para fazer meu ouvido chegar perto da boca dele e ouvir o tal segredo: “eu sou doido para te beijar”.

Foi patético. Estava na cara que era a ultima tentativa. O que ele achou? Que eu diria “eu também”? Foi ridículo. Eu sei que ele é heterossexual e um heterossexual muito cruel. E agora sei também que ele não é meu amigo. Nunca foi, nunca quis ser, nuca será. O que ele quer é só descobri a qualquer custo se u sou gay ou não.

Será que não passou pela cabeça dele o quanto eu ficaria envergonhado se tivesse dito “eu também” e ele virasse para mim e dissesse “você é gay?”. Eu não sei se vocês entendem o tamanho da minha raiva, da minha tristeza, porque agora eu sei que ele não é meu amigo.

Definitivamente.

Como resposta ao “segredo” dele eu fiz uma piada “você não faz o meu tipo, desculpa”. Ele prosseguiu sério. E aí não havia espaço para piada. Eu cortei: “pára de bobeira, ******”. Ele ficou com raiva e disse que estava só brincando. Como se tivesse enfim desistido, como se aquela estratégia fosse a última para descobrir, para me fazer contar. E eu fui irredutível.

Fomos mais duas estações de metrô, ele mudou de assunto e chegou a uma assunto no qual falaríamos do meu ex-namorado. Não é segredo para ninguém na empresa que nós estamos com problemas. No início todo mundo percebeu quando ele parou de falar comigo. Agora todo mundo percebe que ele vive tentando atrasar meu trabalho.

Então, no metrô, com meu “amigo” hetero, comecei a falar mal do meu ex-namorado. E quando cheguei na minha estação o meu amigo hetero solta: “você tem ciúme dele porque ele teve um caso com o ******”. Não havia nem espaço para aquela colocação na conversa. Foi o fim. Ele havia realmente desistido. Não ia mais sondar. Simplesmente ia me tratar como se já soubesse porque com certeza ele já sabia.

Falou com muita propriedade. Como se aquilo não fosse suposição. Fosse fato. Tanto o meu ex-namorado ter tido um caso com o ****** quanto eu estar ciúme por causa disso. Graças a Deus essa não era a causa da minha raiva do meu ex-namorado. E não é mesmo. Pode ter sido, em algum momento, mas não agora. Agora já transbordou isso. Se tornou profissional.

Eu não rebati, não questionei o comentário. O que eu fiz foi dizer: “você está drogado?” e sair do metrô me despedindo e dizendo até segunda-feira.

Ouvindo: It Had To Be You – Billie Holiday

12 críticas:

FOXX disse...

hehehe
e ai: vai fazer o q eu aconselhei?

Leo disse...

kra... vc tem certeza absoluta que ele tava te sondando? que era tudo um teatro pra vc se assumir? Sei lá... isso tudo me parece meio bizarro... mas se for... sinceramente: Que cara babaca!
Com certeza ele falava de todas essas pessoas gays ao seu redor pra estimular vc a sentir confiança em se assumir. Pra vc ver que nao era o único. Que nao tinha problema.
Agora, daí a falar que queria te beijar... muita filhadaputice se tiver sido um truque!
O kra é um babaca. manda ele à merda e pronto! Ele não é teu amigo. Não tem amizade a perder!

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Gostei da escolha musical. Gostei do blog. Não gostei da investida do tal colega de trabalho. Pra mim, frio e deselegante (pra não citar outras adjetivações).

...

Nadezhda disse...

Você reagiu da forma mais sensata. Se ele fez isso só para descobrir, além de ter perdido a amizade, vai ficar muito sem graça.

;)

Klero disse...

=O
fim de namoro em ambiente de trabalha é o fim... passei por situação semelhante, mas sem o adendo inconveniente para piorar tudo!

Râzi disse...

Vou ser direto...

Vou vc viaja ou não tem um mínimo de senso...meu querido, esse seu amigo hétero é mais gay que nós dois juntos.

Ele não está te sondando. Essa curiosidade sobre gays não é simplesmente pra saber... ele quer conhecer... isso é normal quando a pessoa não se aceita.

No caso, acho que ele estava sendo muito sério quando disse que queria te beijar... agora, se vc acha mesmo que ele faria isso simplesmente pra saber de algo que, pelo jeito, ele já sabe...é contigo.

Pára e pensa um pouco.

Beijão!

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Valeu pela visita, pelo recado, mas sobretudo pelas palavras!

E insisto: a prudência é a arma dos sábios. O fato de perguntar acerca do universo gay NÃO FAZ dele gay ou "simpatizante" em defesa da causa. Se assim fora, então, héteros e/ou homofóbicos deveriam saber sobre a questão apenas pelos livros ou, quem sabe, pelo Professor Google.com.br ! E isto para evitar que a curiosidade (neste teu caso, maliciosidade!) gerasse a premissa de que são gays, talvez, na encolha. Pensar assim, permita-me, isso sim é que é viagem!

Dê tempo ao tempo, observe e discirna as reais intenções do coração dele (se são más ou não).

Abração!

...

It disse...

oi, tudo bom? gostei do blog...
e se me permite, concordo com o razi aqui em cima, não me pareceu apenas sondagem!
aliás, penedo é ótimo!! super indicado

Jarbas disse...

tem coisas que é melhor ser deixadas como estão...

HAIRYBEARS disse...

COISAS DA VIDA.........





HAIRYBEARS
http://hairybears.blogspot.com/

Joci.Gota disse...

muito bom o seu blog...
veja o nosso tbm.

http://wikiwaste.blogspot.com/

Joci.Gota disse...

Muito obrigado pela sua ajuda.
iremos anuciar o dia certo da radio e iremos falar de vc como o primeiro apoiador do programa. ;D
obrigado!