Break Free

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008
Artesanato de Antonio de Castro

Sábado eu fui vela e nem liguei. Minha amiga e seu novo namorado marcaram comigo para irmos os três a um show da Maria Rita. Nem foi preciso pedir duas vezes. Eu estou simplesmente apaixonado pela Maria Rita. E isso é graças ao Leo...

O show foi lindo, eu dancei como nunca e olha que samba nem é meu forte. Gritei, aplaudi e admirei as pernas lindas da Maria Rita que iam de um lado para o outro do palco. Admirei quase tanto quanto admirei a voz dela cantando Caminho das Águas.

Fui dormir rouco e com os pés latejando de tanto samba.

Domingo acordei já na hora de ir encontrar o meu novo semi-namorado. E acho que as coisas estão indo de bem a melhor. Tivemos pouco tempo juntos esse fim de semana. Tinha uma amiga que passara direto em Cálculo 1 com quem comemorar. Mas o pouco tempo que passamos juntos foi de grande valia.

O meu atraso, e isso não é mais surpresa para ele, foi um motivo que deixou-o chateado comigo. O outro motivo foi o show de sábado, que foi a causa pelo pouco tempo disponível para a gente esse final de semana.

Com toda a chateação veio enfim a primeira vez que ele se mostrou realmente importado comigo. E disse que sentia a minha falta e que ficava imaginado várias coisas. Depois perguntou se aquele relacionamento nunca se tornaria algo sério. Que ele queria ter certeza que estávamos namorando.

Agora temos essa certeza. Se antes existia alguma dúvida quanto ao que estava acontecendo entre a gente, agora não existe mais. Estamos namorando. E ponto final. E gostei disso. Olhei para ele e me vi com ele por muito tempo. Talvez eu tenha me precipitado em meus pensamentos e ficado confuso. Mais uma vez.

Gostei da maneira como ele ficou a vontade comigo. Me perguntando se eu teria vergonha de encontrá-lo em outro lugar. Aquele onde as pessoas se encontram.

M O T E L.

E eu nem precisei dizer que era um sem vergonha. Porque é isso o que eu sou. Sem vergonha.

Ficou marcado para o próximo sábado.

Encontrei minha amiga e fomos ver Vicky Cristina Barcelona. Finalmente. Ainda não tenho opinião formada. Senti vontade de ver tudo de novo quando o filme acabou. Mas senti que a coisa toda podia ter sido melhor. Se tivesse mais da Penélope Cruz. Uma palavra para defini-la: Perfeita.

Niña del mierda...

Depois voltamos para casa, comendo sorvete do Mc Donald’s, quando encontramos um antigo amigo. Um amigo da época do ginásio. Um que eu sei que se assumiu gay. E olha que era um do qual nunca desconfiei.

God knows, God knows I want to break free.

De repente percebi, enquanto ele falava, que o admirava também. Quase tanto quanto eu admirava as pernas e a voz da Maria Rita. Se assumir gay não era algo de outro planeta. Eu não devo nada a ninguém. E me peguei pensando em o que me impedia de me assumir. Até agora não tenho a resposta.

Ouvindo: I Want to Break Free - Queen

6 críticas:

Leo disse...

ÊÊÊÊÊ
:p
Se eu morrer hoje, vou pelo menos com uma boa ação no currículo! Ensinei alguém a gostar de Maria Rita e de Los Hermanos.

Tá namoraaaaadoooo! rsss
Pelo visto a viagem vai ser mais animada do que vc esperava, hein?

E quanto a se assumir... vc sabe o que eu penso!

Vê se pára de copiar a minha mania de entrar invisível! Se todo mundo for invisível, ninguém se vê! :/

Klero disse...

olha! o semi caiu e deixou só o namorado em pé!!!

Acho bem pertinente a última reflexão... vale um pouco mais =)

FOXX disse...

tá namorando!
tá namorando!
tá namorando!


que bom, amigo...
felicidade procês

Paul disse...

Nossa, mas são tantas evoluções para um único fim de semana!!!
hahahaha
Feliz por vc!

Nadezhda disse...

É muito bom quando as coisas começam a dar certo!

;)

Pollyanna disse...

Ow ow ow, perdi um monte de acontecimentos por aqui!!

to boba!! vc tá namoraaaaaaaaaaando!

cra, que máximo!
tá namorando, pan pan pan! ahahh