Ah, sei lá

terça-feira, 20 de janeiro de 2009
Artesanato de Antonio de Castro

Parece uma doença. Toda vez que eu fico um pouco mais carente, eu corro para aquelas porcarias de bate-papo da UOL.

É assim que eu estou: carente. Ouvindo todo mundo falando de suas tristezas, mas infelizmente um pouco mais feliz por estar ouvindo. Sentindo cada rejeição dos meus amigos, sentindo cada um se afastar cada vez mais.

Eu tento evitar que a coisa transpareça e talvez eu consiga efetivamente fingir não perceber essa distância que nasce, mas só Deus sabe o quanto me dói ver quem eu gosto indo para longe, ver as coisas acabarem. Só Deus sabe a dor que eu sinto vendo que estou sendo trovado e não podendo, nem querendo falar sobre isso com ninguém.

E é isso mesmo, não estou querendo tocar no assunto para não transformar a coisa numa coisa real, quando pode ser só mais uma imaginação da minha cabeça. Minha cabeça é fértil e eu sei bem disso. Mas quando eu vejo as despedidas sendo menos calorosas, menos doloridas também; quando percebo a intensidade, cada vez mais rasa, dos sentimentos, percebo que algo está mudando.

Por mais que eu não queira, por mais que eu tente imaginar um modo de evitar, eu não consigo. E eu deixo escapar pelos meus dedos, e se quiser voltar que volte, que eu estarei de braços abertos, mãos estendidas.

O que me resta é esperar que voltem, ouvindo lamentos dos outros, que isso me torna mais parecido com o resto do mundo e quando eu sei que o resto do mundo também sofre, eu me sinto menos sofredor, menos vítima. E minha preocupação diminui também.

Voltando a UOL, conheci uma pessoa. De cara as coincidências foram imensas. Ele estuda na mesma faculdade que eu, freqüenta o mesmo shopping que eu, tem compulsão por comer como eu, estudou na mesma escola que eu na mesma época... Milhões de coincidências.

Conversamos no MSN, uma conversa agradável, daquelas que eu diria que dariam em encontro, ou pelo menos em outra conversa. Trocamos perfis de Orkut, eu já tinha até visto ele pessoalmente na escola, reconheci na hora.

Ele não era o meu tipo de homem, fisicamente. Mas digamos que eu também não seja o tipo de home fisicamente de muitas pessoas. Fui dormir com a sensação de que as coisas poderiam vir a dar certo ali, naquele campo.

Hoje ele iria para o sítio, passar o feriado, talvez eu não o visse online no MSN, foi o que ele disse. Mas quando eu entrei na internet hoje lá estava ele “Ausente”. Imagine que ele tenha ido viajar e deixado o computador ligado. Nada mais que normal. Deixei um recado para quando ele entrasse.

À noite quando fui ver o status dele já tinha mudado para off-line e eu confesso que fiquei um pouco chateado por ele nem ter respondido meu recado. E só depois percebi que estava chateado com alguém que não fazia meu tipo, uma pessoa da internet, de um lugar eu não devia entrar nunca mais. Uma pessoa que eu conheci há menos de 24 horas.

E mais uma vez ninguém tava querendo me ouvir. Então me resta ouvir alguém.

Ouvindo: As – George Michael

10 críticas:

Klero disse...

para estes momentos, dê sempre o benefício da dúvida... há milhares de explicações para o ocorrido. =)

Mariana disse...

è incrivel como nos deixamos abalar pelas coisas...mas nao se abale, ele viu seu recado, mas teve que sair rapido, por isso nao respondeu!isso ja se cansou de repetir comigo!

BJooo..

Ah, acho que temos um pouquinho de intimidade pra um bjo, nao é mesmo? rsrs

Candy disse...

É incrível o poder que temos de nos apegar rapidamente ás pessoas. Isso é bom ou ruim? Nem eu sei...

Não se preocupe, ele entrará em contato ;)

Bjos

Nadezhda disse...

"Fui dormir com a sensação de que as coisas poderiam vir a dar certo ali".

Mas é difícil quando dão né.

;)

A.azul disse...

ficou legal a foto né? eu fiz esses dias! aliás, to querendo ver se dou uma mudada por lá, devagarzinho faço isso...

não sei o que falar pro post, vou deixar só um "no stress" então!

=]

Leo disse...

Ai kra! Quanta cobrança pra um cara que vc acabou de conhecer! Tá parecendo até eu! :p
O no stress do abacate foi perfeito!

E eu adoro essa musica! hehe

Pedro disse...

Oi, eu sou o Pedro, do Fastlove e vim agradecer tua visita!!!
Eu fiz um post Show sobre o George Michael!!!
Passa lá pra ver...
Teu Blog é Otemo!!!
Um blog pra ler, realmente....

Prazer;]

Autor disse...

Carência é foda mesmo.
Mas, como tudo na vida, uma hora passa.
E a gente até ri do nosso desespero nesses momentos.
Bjo, querido!

Adlianny disse...

Oi oi , desculpa a invasão...blog mó legal mesmo viu? tá de parabéns.
Quanto ao post, já fiz tanto isso, conversar com pessoas que estão tão próximas de mim e olha onde vamos nos encontrar, no maldito bate papo da uol, responsável por me tirar e me jogar depois de cabeça em minhas crises existenciais, onde me torno a pessoa mais dramática e mais carente do planeta.
Olhe só, se ele viajou e esqueceu o pc ligado, ele com certeza esqueceu o msn aberto no status on line... quando deixamos o msn on line por mais de uma hora e não falamos com ngm ele automaticamente modifica para ausente e depois de uma hora e meia nesse estado vai para off automaticamente tbm... já passei por muitas dessas rsrsrs
Deve ter sido isso que aconteceu, não estressa ainda e ó se for pra ser, viva isso intensamente, é sempre bom demais.
Adorei o espaço e vou voltar.
Beijooo bem grande, com ou sem intimidade rsrsrs

Paul disse...

Todos nós criamos expectativas, mesmo sem conhecer direito as pessoas, sem saber como serão as coisas mais pra frente... por mais que tentemos, sempre acontece.
Só precisamos aprender a não nos deprimirmos tanto quando as coisas não saem como planejado!
E espere, ele pode esclarecer o q aconteceu depois.