Sem fogo e sem gasolina

domingo, 18 de janeiro de 2009
Artesanato de Antonio de Castro

Desde quando eu o conheci, eu sabia que ele era gay. São dessas coisas que a gente percebe só de ver, na maioria das vezes. Nós nos aproximamos no trabalho e hoje estamos no mesmo setor. O meu melhor carnaval foi ao lado dele e de uma outra colega nossa. Foi quando ele decidiu se assumir, para que eu não me assustasse caso ele decidisse ficar com alguém nos blocos que se seguiriam.

Mal sabia ele que eu não me assustaria. Que esse era o tipo de coisa que nunca me chocou, era o tipo de coisa que eu achava lindo... Foi o início da revelação dele. hoje não é segredo para ninguém. Ele namora e está feliz. E ontem eu fui ao show da Roberta Sá com ele. E com o namorado.

Foi tão bonito. Vê-los juntos, conversando como um casal, dançando como um casal, sem todas aquelas vulgaridades, infelizmente típicas dos homossexuais. Fiquei lembrando do show da Maria Rita, o último antes do da Roberta Sá. Eu fui com uma amiga do trabalho também. Com ela e com o namorado. Ver os dois daquele dia não foi tão legal quanto ver os dois de ontem.

Eles combinavam, se encaixavam, por mais que fosse imprevisível. E eu comecei a acreditar no amor homossexual tanto quanto no amor heterossexual. Foi lindo. Tudo isso com a música de fundo da Roberta Sá, que estava linda. E próxima.

A casa é ótima. Eu nunca tinha ido ao Circo Voador. Eu adorei. É bem pessoal, bem simples. As pessoas vão ali para ver o show e curtir o show. Poucas pessoas, sabe? No fim sai todo mundo com a sensação de que tinha visto o outro em algum momento do show. E o plano de fundo, os Arcos da Lapa, com a possibilidade de uma noitada em tantos barzinhos.

Não para mim, já tava prometido para minha mãe. Essa semana: Nada de tequila, nada de vodca pura, nem de Red Label. A volta para casa, dormir e descansar porque eu precisava.

Dormi tanto que sonhei. E foi um sonho lindo. Minha mãe ouvindo uma conversa minha pelo telefone, como é de costume, e no fim da ligação perguntando, nem lembro porquê, se eu estava apaixonado. Eu dizia sim. Ele me perguntava por quem. Eu começava dizendo: “Um menino”.

E ela me abraçava chorando e me beijando e dizendo que me amava. E eu nem lembro quem era minha tal paixão. Eu nem lembro porque respondi desse modo tão automático, tão espontâneo. Talvez ela não saiba até hoje quem era aquela paixão. Porque o abraço parecia que ia durar uma eternidade.

Um vídeo do show da Roberta Sá no Circo... ela não é linda?

9 críticas:

Leo disse...

Vc nunca tinha ido no circo? eu ADORO o circo! Muito mesmo!

Vc nunca considerou a possibilidade de contar pra esse amigo que é gay? Com certeza ele nao vai te recriminar.. e pelo menos seria alguém pra compartilhar as coisas... com outros amigos gays!
pensa nisso!
abs

Nadezhda disse...

Sonhos assim~são tão bons que você se sente até culpado de acordar.

Ele sabe que você também é? ;)

FOXX disse...

como assim vc não acreditava em amor homossexual?


ihhhhhh

Alex&Elisa disse...

Owww que bunitinho...adorei seu espaço (principalmente pq vc bebe)...hohoho

Mas falando sério, adorei a forma como você descreve as coisas...tão cheia de sentidos e tons...muito bom.

Beijos do Alex!

Raphinha disse...

Apesar da vulgaridade de tantos, ainda assim eu acredito. Mas não sonho com o principe encantado, achgo que aew já é demais né?

Quanto ao seu post, quando assisti ensaio sobre a cegueira achava que ia me decepcionar, mas me surpreendi. Apesar de retratar de modo menos explicito que no livro o filme causa um bom impacto. Gostei muito. Espero que esse seja bom também.

Candy disse...

Tipo, eu tenho um namorado e vivemos (infelizmente escondidos ainda) quando tempo oportunidade como um casal hetero. Nos amamos muito e hoje sei que sem ele... Ai, nem seu o que eu faria. O amor muito.

E eu também era como você, não acreditava no amor homossexual...

Mas vale a pena nunca desistir de sonhar, porque os sonhos são apenas seus e ninguém pode destruir. ;)

Acredite de coração e o universo conspira a seu favor.

Autor' disse...

Eu não achava possivel um amor homossexual.
Mas conheci um rapazinho q mudou minha vida e meu modo de pensar.
Hj sou muito feliz.
;-)

Paul disse...

É bom ver um casal gay assim, a gente acredita q um dia poderá ser assim tb!

e seria tão bom se tudo acontecesse como no sonho, né? tranquilo, sem problemas...

man in the box disse...

q fofa