Tabuleiro

segunda-feira, 23 de março de 2009
Artesanato de Antonio de Castro

Tanta coisa aconteceu. Tanta que eu nem soube como contar aqui no blog.

O post sobre o a volta do Catarinense foi escrito sob forte efeito do álcool, no chão da sala dele, lá pelas altas horas da madrugada. Eu nem sabia usar direito o lap top dele, o teclado americano é uma merda.

A gente tinha brigado, no almoço daquele dia. Eu não queria ficar com ele sério e decidi que o mais certo era dizer isso. Ele me perguntou por que. Eu disse que estava começando a viver, que talvez não fosse a melhor idéia me ligar tão profundamente a alguém.

Resposta errada. Volte cinco casas.

Ele começou a me questionar sobre sentimento, mas eu não queria falar daquilo, pois sabia que bastavam alguns dias para haver sentimento, ainda que naquele momento não houvesse.

Ele se estressou, me deixou no trabalho e disse que eu devia refletir sobre o que eu estava fazendo. Mas não parou de me ligar para que eu pudesse pensar.

Fique uma rodada sem jogar.

À noite nos encontramos de novo, no Botafogo Praia Shopping. E eu odeio aquele shopping. Estava de mau-humor, comendo uma comida que nem gosto e tendo que aturar as cobranças de uma pessoa que nem conheço. Ele estava me dando sermão, dizendo toda hora que estava arrependido por ter se apaixonado por um menino muito mais novo. Mas não tinha nada a ver com idade.

Brigamos de novo e dessa vez foi mais sério. Ele foi embora e me deixou sozinho, em Botafogo às onze da noite.

Eu fiquei mais ou menos quarenta minutos parado no ponto de ônibus, esperando um para o centro da cidade, mas eu queria mesmo era pensar. Peguei um para Copacabana e soltei muitos quarteirões antes do que eu tinha de soltar, antes do apartamento dele.

Pague uma prenda, se foda.

Eu entrei na Fosfobox, tava vazia. Tava sem-graça. Eu tava sozinho. Nunca tinha feito noitada sozinho. Só lembrava de algum blog que tinha lido sobre isso. Sobre estar bem com sua própria companhia. Naquele dia, eu não era boa companhia nem para mim mesmo.

Bebi, para ver se aproveitava minha noite de sexta-feira já fadada ao tédio.

Saí de La e fui andando até a Mariuzinn. Se era para estragar a noite que fosse um estrago dos grandes. Um estrago cheio de heteros e drinks batizados. Entrei, bebi, dancei, encontrei amigos que não queria encontrar. E só tinha passado cinqüenta minutos.

Você está cansado, saia para tomar ar.

Paguei, saí e só quando saí, às 01:15h da manhã, é que lembrei que não tinha para onde ir.

Fui para a praia, andei, andei, andei. Milhões de prostitutas, ri da cara de umas, discuti com outras, disse para todas que era gay e que gostava de uma pica grossa, como que desabafando o tanto de segredo que tenho dentro de mim.

E parei na casa dele. Eu andei da Siqueira até o Arpoador e nem senti. Até eu parar na frente do prédio e chamar ele no interfone. Eu entrei e nunca me senti tão grato a alguém. Ele me deu um copo de leite com Nescau, ligou a televisão e largou o lap top, dizendo que eu poderia usar.

E eu fiquei achando que ele era a melhor pessoa do mundo, enquanto ele entrava no quarto dele e trancava a porta por dentro. Ele estava com raiva, ele estava com pena, porque eu estava bêbado. Disso eu sabia, mas quando amanhecesse tudo voltaria ao normal, eu pediria desculpas e a gente viveria feliz para sempre.

Já é tarde, tire um tempo para o sono.

Ao acordar, me deparei com o apartamento vazio, um recado em cima do sofá feio dele, dizendo que tinha saído para correr e que não voltaria tão cedo. Que se eu quisesse podia ir embora, e que o dinheiro era pra eu tomar café na padaria.

Parabéns, você ganhou um café-da-manhã.

Saí, fechei o apartamento e deixei a chave com o porteiro, como ele tinha dito no bilhete para que u fizesse, caso fosse embora antes de ele chegar. É claro que ia embora antes de ele chegar. Ele estava quase pedindo para que eu fosse, quase me expulsando.

Voltei para casa, entrei no meu quarto e dormi mais algumas horas, pois não conseguia ficar acordado, estava cansado de pensar. Acordei, fui trabalhar e esperei o telefonema dele.

Demorou, mas ele ligou, perguntando o que eu iria fazer a noite, que ele queria me ver. Respondi dizendo que ia ao show (era verdade), mas que poderíamos nos ver mais tarde na Lapa, depois do show.

Ele não quis, pediu para me ver no domingo e que fosse cedo. Nos encontramos, vimos um filme, que eu já tinha visto, conversamos, voltamos para casa dele e não tocamos no acontecido de sexta-feira para sábado.

Fingimos que nada tinha acontecido, dormimos juntos, voltei para casa e no caminho meu celular já tocava com as mensagens que ele me mandava. Três de uma vez só. Dizendo que me amava (?) e que queria ficar comigo a qualquer custo, assinando como “O homem que atura bêbados”.

Achei engraçado e ri.


Passo em falso, volte para o início.

Ouvindo: Vegas – Sara Bareilles

11 críticas:

FOXX disse...

isso não foi o que combinamos!
kkkkkkkkkkkkkkk

Leo disse...

Sério... no more drinks pra vc!
Nunca vi pessoa pra ficar chata qdo bebe como vc!
E como disse o Foxx, não foi o que combinamos!
tsctsc

Mariposo-L disse...

Puts, fingir que nada aconteceu é muito ruim ... isso não vai dar certo nunca .. sai fora ...

Arsênico disse...

Ai... discordo com o Mariposo-L... ele foi muito fofo com vc... demonstrou que realmente gosta de vc... dê uma chance... não custa tentar... depois conta pra gente...

umBeijo!

***

Klero disse...

:O
estão te dando bronca nos comentários!!! rs

confesso que achei tão legal essa coisa de desencontro emocional/geográfico/de expectativas!

Paul disse...

Gente, vc ta parecendo a Heleninha Roitman!!! Bebe e sai xingando as putas, volta atras na briga...

E pq eu acho q esse blog q vc lembrou era o meu? isso de sair sozinho nao me é estranho!!! hahaha

BinhoSampa disse...

caracas... primeiro lugar..tem que ver o que vc quer, porque ele sabe o que ele quer, que é vc.

Ele aturou tudo isso porque realmente gosta de vc, caso contrário tinha mandado vc pra aquele lugar...e nem voltava a telefonar...

A forma com que ele agiu com vc foi porque estava chateado com tudo...

Agora, tem ver o que vc realmente quer, se quer investir nesse relacionamento ou não, porque o cara realmente esta afim de vc...e já demonstrou isso...

Basta vc querer ou não levar isso a frente....

Abs e boa sorte.

BinhoSampa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BinhoSampa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis disse...

o seu texto me lembrou algo que escrevi no meu ultimo. pq as vezes damos voltas e voltamos no mesmo lugar apenas para nos conhecermos melhor. eu aposto nele e quero saber o que aconteceu depois..rs

ps.: a-do-rei o seu comentario. talvez pudessemos marcar algo mesmo, ja que pelos lugares que descreveu devemos ja ter nos cruzado..rsrs

brçs, diabo...

L.C.

Gay Alpha disse...

Faça como eu! Na dúvida... beba mais. Sempre mais... hahahaha!!!
Menino... adorei seu comment, viu! Muito certo o que vc disse! Hugzzzz!!! E a barbinha do Joel tá demais mesmo... hahaha!!!!