Um dia normal

terça-feira, 4 de agosto de 2009
Artesanato de Antonio de Castro

Um dia normal começa com uma manhã clara, um banho demorado e roupas limpas. Jeans e camiseta. Tênis e mochila nas costas. Bom humor no rosto, disposição nos braços e um dia inteiro pela frente. Um dia normal.

Um trabalho pra ser feito em coisa de duas horas pela parte da manhã. Almoçar com amigos, conversar e caminhar pela cidade universitária. Voltar para a segunda parte do dia, assistir uma reunião, discutir coisa das quais entendo, ser elogiado pela supervisora na frente da minha coordenadora.

Voltar para casa com uma amiga que não encontrava há uma semana, conversando no ônibus. Não senti o engarrafamento, não senti o frio, nem o fato de o ônibus estar cheio.

Conversei com um amigo pelo telefone, recebi carinhos e boas notícias, pessoas que eu nem esperava estavam confirmando presença no meu aniversário. O metrô não estava tão cheio, um amigo da minha tia bateu papo comigo no caminho de volta, sentei antes de desembarcar.

Cheguei em casa e encontrei minha mãe, que não via desde sexta-feira. Dei um abraço apertado, pensando em como ela deve ter ficado com raiva quando encontrou meu quarto uma zona. Eu só esperava por ela amanhã, hoje limparia o quarto e arrumaria tudo, fazendo ela acreditar que a ordem esteve aqui por todo o fim de semana.

Sorri, esperando a bronca, que não veio. O que veio foi um beijo jogado no ar e recebido com carinho por mim. Sorri de volta, percebendo o quanto eu sou afortunado pelo meu dia, pela minha vida.

Fui ver televisão, enquanto ela terminava de ver um vídeo na internet. Decidi colocar um filme que tentava ver desde sábado. Conversei com minha tia pelo telefone e descansei.

Quando pensei que estava tudo bem, minha mãe me pergunta se a The Week era uma boate gay. Na hora, nem entendi direito a pergunta. Confesso que meu estômago deu um giro de 360°.

“É.”
“Você é gay?”
“Que pergunta idiota, mãe!”

Ela não perguntou mais nada, nem eu respondi mais nada. Precisava colocar meu estômago de novo no lugar, ao mesmo tempo que a imagem da conversa (A Grande Conversa) não saía da minha mente.

Ela foi tomar o banho dela certa de que eu sou gay. Eu fiquei assistindo o filme certo de que ela sabe que eu sou gay. E toda a certeza foi causada pelo silêncio. Ninguém gritou, ninguém chorou. Não é coisa pra um dia normal. Não é coisa pra um dia como hoje.

Ouvindo: Season of Love – Rent

9 críticas:

Paul disse...

Sempre dizem q os pais são os últimos a saber. Mas sabe que eu as vezes duvido um pouco disso?
No meio de conversas, existem gestos, frases e olhares compreensivos vindos deles (principalmente meu pai) que me dão quase a certeza que nada é tão bem escondido assim.
E sempre fica aquela dúvida, se eles realmente sabem.
Mas essa conversa é inevitável. Um dia ela ocorre.

Fabiano (LicoSp) disse...

Putz q diazinho pra isso acontecer neh... mas acho que vc não escapa desta conversa tão cedo não.

felicidades qrido e q este dia normal continue por muitos dias...

bjs

Marcelo Novais disse...

Genteee sua mãe até q foi maneira
rs
Mais a The week do RJ nem eh gay
dia sexta eh hetero
rs
Fuiz!

Mauri Boffil disse...

Gente...
Eu tenho que fazer o truque do desdobro aqui pra ir a boate gay...
Se bem que nem vou mais, porque as boates daqui são a pura decadência...

Theo disse...

Nossa... lendo seu post eu tbm "visualizei" a cena da minha conversa com minha mãe. Também tenho a certeza d q ela sabe, mas fico sempre adiando, adiando...

Boa sorte com sua mãe! Tenha certeza d q ela vai estar ao seu lado sempre...

E obrigado pela dica! Assista ao show da Ana! hehe
Soube q ela e o Arnaldo Antunes vão cantar juntos, acompanhados por Móveis Coloniais de Acaju. Acho q vai ser legal!!

Abço ^^

A.M.B disse...

eh o q eu sempre digo: mãe sempre sabe. a única diferenca é o quanto elas querem acreditar ao contrario.

experiencia propria.

abracaoooo!

Pollyanna disse...

Quando eu digooo... mae sempre sabe, bobo é quem pensa que nao!
Só que elas tentam nao acreditar, é diferente...

Diego Yorkes disse...

well, well, well ...
mas porque sua mãe perguntou logo da The Week?
ainda bem que minha mãe não sabe pra onde eu vou ...

bom lembrei que tenho que ir na The Week ainda. (:

Latinha disse...

Poxa! Que dia bom hein... inclusive pelo fato da sua mãe ter te perguntado isso... Se ela perguntou, é porque já tem uma idéia e já provavelmente cogitou tal situação.. e pelo jeito que foi recebido, imagino eu que o mundo dela não tenha desmoronado.

As pessoas as vezes podem nos surpreender! Dito isso, não estou dizendo que deva ou não contar alguma coisa a sua mãe, apenas atente ao fato de que se ela está perguntando... é porque já percebeu e já começou a digerir a situação...

Abração!