Um amor que dura pra sempre

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009
Artesanato de Antonio de Castro

Eu só queria um amor desses que duram pra sempre. Fui à procura dele, fugindo dos amores que são diferentes. Aqueles que são falsos ou superficiais, ou impossíveis e inacessíveis, porque essa palavra diz muito.

Dei de cara com um monte de coisas, aceitei umas e me arrependi. E como sempre me fiz de vítima. Esse parece ser meu papel favorito. Em qualquer teste eu só disputo isso. Não ser o culpado e sim o coitado.

Passei por várias ruas e por várias cidades até cair no poço daqui da frente da nossa casa. O poço era ridículo de tão raso e eu, ridículo, de tão dramático. Chorei durante semanas até tomar coragem e seguir a diante. A busca pelo amor que dura pra sempre.

Dessa vez pareceu mais fácil. Não durou nem uma semana e o tal potencial amor estava por lá. De perna torta, cabeça grande e olhos esbugalhados. Não bebia, não comia e fazia piadas sem-graça. Mas a vontade de senso de humor já era melhor do que sua total ausência. Já havia provado desse gosto e não era bom.

Esse amor me iludiu. Ou talvez eu mesmo tenha me iludido. Eu ficava ligando pra saber dele, se ele acordara bem, se lembrara de lavar o rosto e escovar os dentes antes de sair de casa. Mas eu nunca estive mesmo preocupado com ele. Era só pra ele não esquecer de mim.

Eu tenho dessas coisas, sabe? É só pra não esquecerem de mim, é só pra gostarem de mim, é só pra transarem comigo, é só pra que me odeiem. Eu faço de tudo. Eu ligo, finjo ser ciumento. Finjo ser infantil e finjo ser maduro. Ser maduro é mais difícil. Talvez porque eu seja infantil.

Ou isso é só conseqüência da constante ausência do bendito amor que dura pra sempre. E da minha bendita insistência em achá-lo. Achar um amor que dura pra sempre num amor de um mês. Mas me dizem que não é uma questão matemática. Que é uma questão pessoal.

Nunca fui bom com questões pessoais. Por isso eu tô sozinho. Por isso eu sou ninguém, sou um nickname. E quando me dizem isso, sei que é algo que só eu posso resolver e deixo de ser a vítima. Isso me tira do sério. Perder meu papel. Aquele que eu sempre tive a arrogância de achar que interpreto tão bem.

Hoje eu perdi um amor de um mês. Conseqüentemente, uma busca de alguns outros. Meses. E quando a busca parece inútil, a falta dos amores superficiais atinge com toda a força do mundo.

Tá triste, grande e sem sentido.

Me aceitem. Voltei.

Ouvindo: Amor até o fim – Elis Regina

15 críticas:

Arsênico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pollyanna disse...

Antes de mais nada quero deixar claro que nao gosto mais de voce, pq vc me fez chorar...
ahahha

Mas pensa pelo lado positivo, melhor perder um amor de 1 mes do que um de 7 ANOS!!

Eu ja nem sei se quero um amor que dura pra sempre... eles nunca duram mesmo!!

FOXX disse...

menino...
sendo mto seu amigo
eu tenho q ser sincero...

vc não qr amor
e eu já te disse pq acho isso
vc tá se iludindo porque gosta de ser essa menininha romântica

Leandro K. disse...

Acredito que ninguém mais saiba realmente lidar com "amor". Cada um criou uma fantasia em sua própria cabeçae a vive como uma verdade. O sentimento em si, como Albert Camus bem disse, ocorre uma ou duas vezespor século. O restante é puro tédio. =)

Mas vale a pena viver essa ilusão se ela te faz sentir-se vivo, seja da forma como quiser. Um grupo chamado Eskobar tem uma música, Cold Night. Pegue, ouça... Acho que é interessante.

E nada de ficar melancólico. O Rio de Janeiro é o oposto disso e eu não quero chegar aí com uma melancolia tomando conta de tudo! rs

Leo disse...

Sorry if i wasn´t here...
Mas posso dizer que esse foi um dos seus melhores textos?!
Dizem que é da fossa que nascem os melhores artistas...
oh well!
:P

Paul disse...

A eterna busca por alguém. E a saga continua!
Por vezes acho que dramatizamos muito certos momentos. Que cobramos muito, nos iludimos muito.
Quando se racionaliza mais, talvez as coisas aconteçam melhor.

francisco disse...

Acho que muita gente se identifica com o que disse, só que a maioria tem vergonha de dizer, pq na nossa sociedade fomos ensinados a ter vergonha dos nossos sentimentos. Portanto, gostaria de parabeniza-lo pela coragem de se mostrar diferente.

Infelizmente poucas pessoas encontram o tal amor que dura para sempre, mas ele de fato existe. Então: boa sorte pra gente!!

Ps:gente sem senso de humor é fda mesmo!!rs

Alexandre Lucas disse...

Adorei o nome do blog, encontrei amigos entre os comentaristas =D

Quanto a "Eu só queria um amor desses que duram pra sempre.", aproveita que está sonhando e pede um pônei.

Guy Franco disse...

O amor tem perninhas, viu.

Alexandre Lucas disse...

Guy: mas não pode voar, hehehe.

Rodrigo disse...

encontrei o seu blog por acaso e gostei do que vi. gostaria de conversar contigo, se possível.
meu e-mail/msn é rodrigodiaz88@hotmail.com

Arsênico disse...

Volta Quiiridjo!!!

Como estás?

***

umBeijo!

xD

Guy Franco disse...

O Foxx te chamou de menininha romântica :O eu não deixava, ó!

Anônimo disse...

Hi,

I begin on internet with a directory

Anônimo disse...

Eu posso dizer que sou alguém para casar, acredito " no amor para sempre " e tenho meus dois pés cravados no chão. Ja tomei poucos tombos feios por acreditar na ilusão alheia, as vezes te dissem com tanta verdade que voce acredita na mentira. Aprendi que voce deve ser a fonte da sua própria felicidade, porque se beber e viciar na fonte alheia, o dono dela pode virar as costas, ir embora e deixar voce morrer de sede, então, acredite na sua fonte interior e faça jorrar felicidade, o que é seu ninguém tira.