Terapia mundana e urbana

sábado, 8 de dezembro de 2007
Artesanato de Antonio de Castro

Um dia de compras vale mais do que vários dias de descanso, é o que eu prefiro pensar quando vejo mais da metade do meu tão suado salário ir embora para mãos de vendedores de lojas caras e bonitas nos shoppings do Rio de Janeiro.


Mas me sinto recompensado quando uso uma roupa e me sinto o mais bem vestido ou tão bem vestido quanto os demais, passar horas no shopping, entrar e sair das lojas e acumular bolsas grandes de papel grosso. Dentro das bolsas, roupas, sapatos, outros acessórios e todos os meus dias gastos dentro de um laboratório mexendo com uma infinidade de produtos químicos e aturando uma chefe chata me cobrando mais do que eu posso dar.

Não é só pelas compras que o dia vai ser legal, é também o passeio. Geralmente sempre tem alguém legal para dividir esse momento com você, uma amiga especial, ou você encontra alguém que já não via há muitos meses, mas que você continua tendo aquela conversa boba e despretensiosa de sempre por horas a fio, vocês decidem fazer compras juntos.

Hoje vai ser esse dia para mim, vou encontrar com uma amiga de longa data, com a qual é rotineiro esse tipo de programa urbano, e vou andar o dia inteiro, eu espero, pelo shopping lotado. Vamos falar das pessoas que passam, dos amigos antigos e vamos comprar, um ajudando a escolher o que vai ficar melhor no outro.

Não lembro se já comentei sobra uma amiga que tem se afastado, uma amiga que amo muito e que o tempo está fazendo questão de levar para longe. Enfim, há dois dias ela me ligou, depois de um longo inverno silencioso e sem notícias. Conversamos horas e eu ouvi tudo que ela tinha para falar. Como de costume, ouvi mais do que falei, mas isso é previsível, as não foi à mesma coisa.

É difícil ouvir várias vezes o nome de uma outra pessoa, ocupando seu ligar como a pessoa mais especial na vida de outra pessoa. Acho que ainda não existe ninguém tão especial quanto ela na minha vida, mas é assim mesmo. Fico triste por ver o quanto ela mudou e o quanto está diferente de mim, justo ela, a pessoa que mais se parecia comigo.

Fico triste também porque ela na vai estar hoje conosco no shopping, como tantas vezes foi. Nós três andando e rindo, rindo e andando. Não vamos falar dos últimos filmes que vimos, dos últimos livros que lemos, das última músicas que escutamos. É preciso seguir em frente.

O shopping é muito grande e você nunca vai ter certeza que comprou a coisa certa se não andá-lo todo. O natal dificulta as coisas, muitas pessoas pelos corredores, muitas pessoas para os atendentes das lojas atenderem. É preciso concentração, esquecer os problemas da vida e focar seu objetivo. Compras.

E tem o lanche, aquele momento em que você lembra quando você era criança e ia com seus tios ao McDonald’s e eles lhe pagavam o lanche com o brinquedo, você brincava apesar de passar horas tentando montá-lo. Agora você tem que pagar e aquele lanche vai fazer com que todo o seu esforço de uma semana para emagrecer para o carnaval se perca e necessite de mais duas semanas. Mas sigamos em frente, pois o shopping é grande.

Ontem eu fui ao shopping, lanchar com os amigos, o tão falado McDonald’s, tão visitado, tão dentro do meu contexto de vida. Meus amigos do trabalho, novos amigos, meu amigo hetero...

Ele teve a cara de pau de dizer na minha cara que estava bem com a namorada, que não estava fazendo mais nada de errado e eu não me senti no direito de dizer na cara dele e acusá-lo de ser tão insensível com uma menina que o amava e o tratava bem, participando de uma suruba com uma prostitua de nome Eduarda. Acho que é o primeiro nome que escrevo aqui, Eduarda.

Eduarda deve ser uma pobre coitada, ainda mais agora, já que a tal suruba fora ontem, como várias vezes os ouvi comentando durante o dia. Como pode passar o dia inteiro bem, um homem de valores, dizer que está sendo fiel a quem o ama e ao fim do dia se reunir a mais três ou quatro canalhas infiéis e trair uma mulher brilhante?

Isso não me diz respeito, é verdade. Vamos às compras.

3 críticas:

A.azul disse...

compras...
sinta-se mordido de invejas por mim!

^^

Rõdrigo disse...

Oii

também fui as compras =D
hsuauhsa
adoro!!

Xauu

Fláh disse...

Traição mata.

aiai.