Soado

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008
Artesanato de Antonio de Castro

Há algum tempo eu não posto nada, eu sei. Estou em dívida com a página, mas me entendam, a vida tem sido muito corrida.

O carnaval foi maravilhoso. O melhor de toda a minha vida. Isso porque eu simplesmente me dei o direito de esquecer que é a época de beijar no maior número de bocas, coisa para qual não posso dizer que tenho talento, e decidi aproveitar.

Nunca pulei tanto, nunca ri e bebi. Nunca zoei tantas pessoas e cantei tantas marchinhas de carnaval bem alto, sem vergonha da minha voz. Nunca falei tanto com estranhos, nunca soei a camisa de modo tão intenso. Foi tudo tão intenso.

Consegui me divertir sem beijar uma boca, sem flertar com ninguém. Consegui voltar para casa com os pés cansados, a garganta dolorida e a voz rouca, sem ter perdido um minuto sequer com devaneios adolescentes na guerra da sedução mais estúpida que existe.

Cheguei à conclusão de que a pessoa faz seu carnaval e conseqüentemente sua diversão. Esse tinha tudo para ser o carnaval mais chato da minha vida. Principalmente levando em consideração o passado, no qual eu passei cinco longos dias com meus melhores amigos, meus irmãos escolhidos pela vida, na Região dos Lagos.

Carnaval mais idiota, sem um pingo do significado do carnaval, da diversão. Não tinha marchinha, nem samba-enredo, nem música de axé. Era funk. As pessoas podem até gostar de funk, eu não tenho nada contra, é ótimo dançar um bom funk pesado com danças eróticas quando a intenção é impressionar alguém que você quer ficar.

Mas o carnaval não foi feito só para as pessoas ficarem umas com as outras. Foi feito para as pessoas libertarem seus fantasmas presos o ano inteiro pelo carrasco que é o trabalho. Quando já se imaginou um trabalhador normal, em plena segunda-feira, bebendo sua cervejinha e ouvindo um bom samba de raiz?

A resposta é: só no carnaval.

E o meu foi maravilhoso.

Mas um carnaval só dura quatro dias e, para os mais foliões e desocupados, cinco. Não dá para pular carnaval o ano inteiro. Percebi isso no domingo, quando decidi de teimosia, com as pernas ainda doendo, ir ao Monobloco, em Copacabana.

Não estava mais com clima do carnaval, já havia me despido da máscara e da peruca verde fluorescente. Já não queria mais pular, nem beber, nem rir de toda e qualquer coisa. O que eu queria era ouvir uma música de qualidade e dançar quietinho no meu canto. E isso eu só percebi quando cheguei lá e me deparei com a multidão que se esbarrava.

Não gostei, me arrependi, não quero mais carnaval. Não até o ano que vem.

E agora é o retorno à realidade e de volta ao trabalho.

Meu ex-namorado está bem melhor, eu acho. Nós conversamos, parece que nos entendemos, estamos até com assunto, de vez em quando paramos para trocar umas palavras e tudo mais. Isso me deixa feliz. O que me preocupa são algumas atitudes que percebo mas que não sei se são coisas da minha cabeça.

Há dois dias, estávamos fazendo hora extra, sozinhos em uma sala, cada um em um computador. Eu falei alguma coisa com ele, sobre o trabalho, e eu não sei se imaginei ou vi demais, mas me pareceu que ele me olhara dos pés à cabeça, com olhos de mais que amigo.

Depois, no mesmo dia, ele fez um movimento de se esticar que ele faz quando está querendo fazer alguma coisa que teme, como se o que ele quisesse era vir ao meu encontro e fazer coisas, como nós fazíamos quando éramos namorados. Mas não tinha coragem para tanto.

Já no fim, quando eu estava indo embora, ele perguntou o que eu queria ouvir, de música. Eu disse que nada, que já estava indo... quando eu vi, ele estava tentando colocar uma música da Marisa Monte, que ele sabe que é minha cantora preferida. Talvez passasse pela cabeça dele que era o suficiente para uma reconquista.

Pode ser que eu esteja me superestimando em relação a ele, mas fiquei seriamente constrangido com tudo isso. Com medo de ele estar imaginado que o fato de eu estar novamente conversando com ele e rindo quisesse dizer que eu queria novamente alguma coisa a mais. Estava também com medo de estar interpretando mal as atitudes do menino que talvez pela primeira vez em muito tempo estava se sentindo a vontade na minha presença.

E hoje, eis que quem ressuscita?

Meu amigo hetero. Viemos juntos de metrô depois de ele me ajudar de modo envolvido na arrumação da minha sala. Lavou as coisas para mim e, solícito a tudo, perguntava o que podia fazer para me ajudar, para agilizar meus trabalhos, para poder ir embora comigo. Só estava me esperando.

Pode ser mais uma ilusão, mas parecia que nós poderíamos ser de novo amigos. Depois de tanto tempo afastados. Sei que gosto dele, que só quero seu bem. Espero ter mais episódios sobre o fato para contar aqui.

Quanto à minha vida virtual, aquele carinha não me respondeu por muito tempo no msn, e depois disso nunca mais ficou on-line. Agora estou conversando com alguém muito melhor, alguém que como eu não está a procura só de sexo, porque no fundo o que quero não é só isso. É conhecer outras histórias, dividir a minha e conhecer pessoas que possam um dia me fazer feliz.

Combinamos de nos falar por e-mail, hoje eu já mandei um para ele e dei o link do blog, vamos ver se ele vai comentar...

Pode ser que seja mais uma conversa boa que nunca mais vá se repetir e eu tenho que começar tudo do zero. Vamos esperar.

6 críticas:

Nadezhda disse...

Eu nunca participei do carnaval. Não gosto. Talvez seja a criação que tive, da família toda não participar.
Sempre deixei esse tipo de festa pro fim do ano, quando as coisas estão mais tranquilas.

Bom, boa sorte então com seu novo 'contato' ;)

Ricardo disse...

Olá! Bom dia!

Menino, muito bom achar alguém com uma escrita fluida como a sua! Muito bom de ler! Eu achei o post grande, e decidi ler apenas os primeiros parágrafos... ai quando vi, está lá o link dos comentários! Li tudo! hauahuahau!

Bom, eu também suei muito no Carnaval! Simpatia é Quase Amor, Banda de Ipanema (sábado) me fizeram suar que nem um tonto! Adoro carnaval de rua! Só senti ter perdido o Que Merda é Essa?, mas chegamos atrasados!

Abraço!

abacateazul disse...

ressucitei também!
espero ressucitar com uma freqüência maior..
saudade!!

^^

Kamilla Barcelos disse...

Simplesmente adoro o seu blog!!!
Leio sempre!!
No meu blog tem dois seus p/ vc!

Beijãooooooooooooooooooooo

Menina da lua disse...

Q bom q vc apareceu!
Fico feliz em saber q o Carnaval foi bom pra muita gente.


Boa sorte com que vem.

Abraço!

michelle disse...

aah meeu! carnaval eh muito legal!! me divirto tanto hehehe se bem que esse ano nao foi la essas coisas... mas tudo bem =)
boa sorte com o seu novo "paquera" hehehe ;)

beijãão