Mães

domingo, 11 de maio de 2008
Artesanato de Antonio de Castro

As noites de sábado têm sido totalmente virtuais ultimamente para mim. O que não é normal, quando eu estava acostumado a sair e me divertir na vida real. Ficar na internet, conversando com outros caras gays e desocupados achando que vou achar uma pessoa legal para viver sei lá, alguns meses de amor...

Soa até doentio.

Decidi fazer diferente esse fim de semana. Sem ter o que ver na televisão e me negando a entrar em um desses bate-papos da vida, peguei meu DVD de Em Busca da Terra do Nunca e assisti com minha mãe.

Em vésperas de dia das mães, assistir a um filme tão comovente que trata da relação mãe e filhos numa família desestruturada seria a oportunidade perfeita para dizer a minha mãe antecipadamente que a amava.

Filmes que tratam de relacionamentos entre mãe e filho me emocionam. Talvez seja por isso que são os meus preferidos. Em Busca da Terra do Nunca é um deles. Sylvia, interpretada por Kate Winslet, suporta o peso de levar a frente uma família abalada pela recente morte do patriarca no início do século XX. James Barrie, interpretado por Johnny Depp, é o dramaturgo que vê na beleza do amor dessa família e na superação das quatro crianças a inspiração para compor sua mais nova peça de teatro – Peter Pan. Peter, um dos filhos de Sylvia, interpretado por Freddie Highmore, é o menino que cresce antes da hora quando tem que encarar a doença de sua mãe e amá-la como gente grande.


Me sinto como Peter. E como todos os filhos dos meus filmes preferidos que tiveram de amadurecer prematuramente para poder encarar a vida ao lado de minha mãe, para a falta d uma estrutura familiar tradicional que havia em minha casa não estragasse completamente minha infância.

A Terra do Nunca é o lugar onde encontramos quem amamos, é o faz-de-conta que criamos para nos tornarmos adultos com responsabilidades, mas sem perder a inocência de uma criança. Me vejo, vira-e-mexe em minha Terra do Nunca. Acompanhado por minha paz interior.

Gostaria de levar minha mãe à minha Terra do Nunca, onde posso ser feliz com os relacionamentos proibidos que mantenho, onde tudo é permitido e onde sempre sou amado. Mas não posso ainda. Não posso e choro por isso. Caso possam um dia ver esse filme maravilhoso, atentem para a cena onde Sylvia finalmente vai à Terra do Nunca. É como se ela enfim entrasse em contato com seu eu interior. É o conhecimento pleno de si próprio.

Dia das mães regado a filmes com histórias de mães que se desdobram para manter a união familiar. Segue algumas dicas de filmes, meus preferidos com essa temática.

Em Busca da Terra do Nunca

Os Garotos da Minha Vida

Pequena Miss Sunshine

Um Grande Garoto


Pra terminar: Mãe, não quero que você leia isso tão cedo, mas quando ler, quero que saiba que te amo e sou grato a tudo que fez pela gente. Feliz dia das Mães.

Ouvindo: Killing me Softly - The Fugees

5 críticas:

Nadezhda disse...

A expressão de felicidade no rosto dela, é linda!

Só não vi o último filme, que de fato queria ver, pois é adaptação d eum livro de um escritor que gosto (se nãoe stou confundindo os filmes).

;)

Talvez eu conte... um dia. disse...

Ok, acho que eu sou a única pessoa do mundo que nunca assistiu a esse filme! ahah
Mas sobre isso te comover, eu concordo contigo... mas tenho uma relaçao muito boa com a minha mae...
E Pequeno, uma coisa eu te digo... aproveite em quanto tu tens aportunidade de melhorar a tua relaçao.. tu és novo, tua mae te ama com toda certeza do mundo... nunca deixe os problemas atrapalharem isso!

E sobre as noites em sites de salas-papo, deixei isso de lado um pouco.. qnd a gente menos procura, é quando a gente acha!!
beeijo

Râzi disse...

Ah, meu querido, é sempre bom tentar fugir da vida digital, quando podemos!

Espero que tenho sido um momento lindo...eu também me emociono com a relação mãe filhos...

Beijão!

A.azul disse...

eu morro de saudade da minha mãe, sempre mando emails e ligo. mas se ficamos mais de 3 semanas juntos começa a ter atrito e acabamos brigando.. só que ninguém me entende tão bem como a "megera" heheh
adoro esse filme e pequena miss sunshine também, muito, muito bons!

bjs!

Mariana disse...

Ahh..em busca da terra do nunca é lindo mesmo!Ja vi varias vezes...
è sempre bom deixa a vida virtual e ir pra real, mesmo que seja por algumas horinhas soh!

bjooo