Dadadoodoo

domingo, 26 de abril de 2009
Artesanato de Antonio de Castro

Eu saí. Precisava sair par dançar. Minha vida tem andado uma calmaria há um bom tempo. Decidimos eu e uma amiga ir para uma casa na Lagoa. Festa de um amigo de uma amiga dela. Enfim. Eu nem conhecia o bendito, mas estava lá bonitinho com o nome na lista.

Fomos, bebemos, conhecemos pessoas, dançamos. Estava ótimo. E no mesmo dia, no mesmo camarote tinha a festa de uma pessoa super querida por gays, com certeza. Porque o camarote tava lotado de gays!

Ironia.

Uma dança aqui, umas doses de vodca acolá, quando vi já estávamos todos melhores amigos de infância. E dentre aquele monte de homem gay, engraçado, gostosos e dançarinos mega-maravilhosos, um menino me deu maior atenção.

Às duas da manhã eu já tinha perdido a minha amiga. A música estava perfeita. Meu parceiro de dança estava maravilhoso e a coisa começou a se aprofundar. Quando vi, já estávamos do lado de fora da casa.

A gente tava se pegando. Naquele momento, eu não estava nem aí. Nem sei se estava gostando ou não de como ele fazia, mas de uma coisa eu estava gostando: a maneira como meu ego se inflara naquele momento que percebi que ele queria algo comigo. Minha neura de que estou gordo demais passou e eu estava me sentindo tão desejado. Como não me sentia há muito tempo.

Já estava indo para o Centro. E só lembrei da minha amiga quando estava no banheiro de uma outra boate. O banheiro cheio de homem. Cheio de homem emo, cheio de homem malhado, cheio de homem com calça justa e camisa regata branca. Cheio de homem com trejeitos.

Quando saí do banheiro me dei conta de que o menino tinha decidido me levar parra a minha primeira noitada gay. Eram quase quatro da manhã, eu não lembrava desde que horas estava lá. Só sabia que não tinha avisado minha amiga. Só sabia que estava mais uma vez bêbado e que a música estava muito boa.

Voltei para a pista, me peguei um pouco mais, bebi mais, subi no queijo. E não tinham passado uma hora. Já estava cansado. Já queria ir embora. Parei. Peguei meu celular e comecei meu ritual. Para todo mundo que eu lembrava.

Amigos furões, amigos desnaturados, amigos com livros emprestados e amigos coloridos!

Gasta-se crédito com isso, mas quem se importa? Tinha um casal gay se beijando na minha frente e estava tão bonito! O meu peguete chegou de novo, eu lhe disse que queria ir embora. Nós fomos, passamos na padaria, compramos pão quente. Na rádio tocava Adriana Calcanhoto.

Ali mesmo, no carro dele, eu liguei para o Catarinense. Minha última ligação. Chama, chama e ninguém atende. Droga! Cinco minutos depois meu celular começa a tocar a música do meu enterro (My Father’s Gun). Atendo o Catarinense. Ele pergunta onde eu estou, eu digo para ele que longe dele. Ele ri, eu mando ele se fuder. Ele pergunta quando que nós vamos conversar de novo, eu digo que nunca. Ele pergunta por que eu liguei então, eu respondo que era porque estava doido para transar com ele.

Desligo, olho para a cara do meu peguete da noite e aviso a ele que era meu ex-namorado. Depois começo a falar sobre meu Deus egípcio Rá, começo a falar do Lico SP, onde li sobre isso. Começo a falar sobre o blog, sobre os meus amigos do blog, sobre os meus amores do blog, sobre minhas crises no blog.

Falo tanto que me canso e, quando acordo, estou em uma cama que não sei qual é, sem lembrar como tinha parado lá. Do meu lado estava o tal peguete, tentando dormir em um pijama de algodão. Eu ainda de calça jeans, camiseta e tênis.

Levanto assustado, ligo para a minha amiga, que também estava numa cama, acordo o garoto, me despeço e peço desculpas por tudo. Ele me pede meu telefone, eu dou e pego o dele. vou para a praia às sete e meia da manhã esperar a minha amiga que passaria de carro com o peguete dela daquela noite.

Eles chegam no local combinado, me levam em casa. Me despeço deles, mando ele deixar ela direitinho em casa também e não abusar mais dela. Eles riem de mim, mas eu já estava sóbrio. Eu durmo mais algumas horas na minha cama, mas as duas latinhas de Red Bull que tomei na boate gay, pensando que melhoraria meu humor, pela primeira vez fazem efeito.

Eu acordo, tomo banho, tomo café-da-manhã. E não são nem 11:00 da manhã.

Ouvindo: Just Dance – Lady Gaga

17 críticas:

Fernando disse...

Uau... A música combinou perfeitamente com a noite, hein? Toda uma montanha russa. Quem sabe o peguete não valha a pena um investimento, depois que essa névoa toda passar? A gente pode se surpreender, rs... Bjos. Boa semana.

Luis disse...

aposto uma vodka de que vc estava no Cine.


XD

Gato de Cheshire disse...

Bebida, hein... Armadilha de santanás... rss
Juizo menino... Juizo.... rsss

Gato de Cheshire disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gato de Cheshire disse...

Sim claaaaaaro.. Amanhecendo não sei onde, não sei com que, tendo feito Deus sabe o que.... ahan.. Juizo sobreo vc quer dizer, né... rssss...

Mas tah certo, as vezes é bom meter o pé na jaca mesmo... rsss

Agora ve se vai dormir, né??? Se n amanha n vai manchar só a mão mas o corpo todo... rsss

Bjkas

PS. Me lembre de nunca pegar um livro emprestad contigo... Se vc me liga no meio da madrugada pra falar disso.. Oiaa.... Oiiiiaaa... N gosto nem de pensar... hauahauahau

Arsênico disse...

Será que vc bebeu pouco heim gatuh?... e como vc liga por catarinense... diz que quer foder com ele na frente do peguete?... que maldade... e o pobre coitado ainda lhe pede o n° do telefone...

um desses não aparece pra mim...

***

Rafaela Abreu disse...

Que noite, hein?!
Mas é isso mesmo!
Vai ser feliz, ora...


p.s. aposto que você não está gordo demais! [rsrs]


Bjinho!

Gay Alpha disse...

Adorei!!! Me convida para a próxima noite animada assim... hehe!!! E subir no queijinho é master!!! Hehehehe!!!
Hugzzzz!!!

A.M.B disse...

"C’est la révolution des boys,
Importuns, exacerbés,
Le harcèlement poussé
Cachant à peine
L’impatience et la fureur"

A.M.B disse...

L’impatience et la fureur.

é mentira hauahhauha
não podia modificar o original neh

abracaoooooo ;)
bjsss na verdade :P
vc: -PLAH
ahahahaha
t+

du disse...

.talvez não dê em nada, mas só o fato de existir interesse é um belo afago no ego...

.abraço

Klero disse...

Qdo vc sai, vc SAI!
rs

Paul disse...

uhull, a primeira noite gay!! hahaha
ultimamente eu tenho ido tanto q nem lembro de quando eu nao ia por medo de alguém me ver!!

e quanto tempo eu nao vinha aqui! li uns 4 posts seguidos

Marcelo Novais disse...

1º noite gay? adorooooooooooooo
vou em tantas q nem lembro quando foi a minha 1º vez
mais q noite hein?
Mais pelo oq entendi vc curtiu! então eh oq importa!
e respondendo sua pergunta!
eu naum tenho medo de namorar,soH naum quero isso agora,tão cedo!...hehe
Bjoos!

Mauri Boffil disse...

Uau, que super, deve ter sido de todo divertido. O cara te ligou?

Fabiano (LicoSp) disse...

Uia… eu num post…rs
Pows q show de bola seu findi hein... até hoje eu nunca tive uma noite assim na qual eu conhecesse alguém na noite e acordasse numa cama. Deve ser gostoso... ou não, tudo depende...rs

Eu to começando a sair da toca também, to percebendo que ficar em casa apenas ou sair apenas para baladinha leve não vai ajudar muita coisa, e agora to conhecendo uma galerinha que curte baladas mil, então aproveitar pra ver gente e ser visto.

Red Bull? Putz, toda vez q tomo redbull, principalmente com whisky eu caio de sono...rs, totalmente efeito oposto ao que ele se propõem acho q não sou normal.

Bjs do Lico

Fabiano (LicoSp) disse...

Qrido,
tem um selinho pra ti lah no meu blog tah.

dpois dá um pulo lá.

bjs do lico