Rilke e Benn

domingo, 19 de abril de 2009
Artesanato de Antonio de Castro


Quando nos abrimos
você a mim e eu a você,
quando afundamos
em mim, você, e eu em você,
quando perecemos
você dentro de mim e eu dentro de você.

Então
eu sou eu
e você é você.

7 críticas:

Nadezhda disse...

;)

(essa imagem é dealgum filme?)

Arsênico disse...

Profundo... mesmo!... hahaha...

Lindo...

***

a Juh! disse...

belas palavras!

Theo disse...

Intenso. Complexo. Profundo.

E ainda tem a coragem de perguntar se pode 'salvar' o meu texto! hehe
Claro q pode!

Dpois quero ver suas 21 coisas...
E fico t esperando aqui!!


Abço ^^

du disse...

.é um jogo complicado esse de perder limites entre o que cada um é ou contribui numa relação....

.abraço

Latinha disse...

Interessante esse texto.. meditar eu irei...

Mas vem cá, que vontade de fazer Cálculo 2 hein!!! ;-)

Agradeço a visita a estrada de tijolos amarelos e espero que volte mais vezes!!!

Abração!

Autor disse...

Poético.
E contemplativo!