Light

domingo, 13 de setembro de 2009
Artesanato de Antonio de Castro


Minha garganta coça. Meu cabelo ainda está despenteado, meus dedos fedem a cigarro. Ou a vômito, não sei bem. Mas minha alma ainda pula de tão feliz que está. Pula como um beija-flor que bate asas. Repetidas vezes, sem perder o ritmo, quase invisível de tão rápida.

Mas ainda dá pra vê-la. Minha alma que anda de cômodo em cômodo, parece refeita, parece agora compreendida.

Há dias não sofro de solidão e continuo sozinho. Há dias não ouço música triste pensando em como vou me emocionar, em como vou sentir os pêlos dos braços e da nuca arrepiarem, em como vou chorar de soluçar. Há dias não choro de soluçar.

Aluguei filmes de comédia e de aventura. Nada de histórias de drama, nada de vencedores do Oscar. Nada de pretensioso nem de filmes franceses. Fiquei com os filmes água-com-açúcar, fiquei com as trilhas sonoras leves e compostas de músicas comerciais.

Sim, ser triste é cult.

Bebi cerveja e fumei uns dez cigarros, em umas longas e divertidas 7 horas de sexta-feira para sábado. Horas em que falei de cinema, de tendência nude na moda primavera-verão, camisetas boyfriend para mulheres chiques, falei de Roberta Sá, de dívida no banco, de sexo casual.

E nem quando falei de sexo casual fiquei chateado, nem quando falei de sexo casual o assunto “eu sou um solitário” surgiu. E isso foi natural. Na hora nem me contive, não me impedi. Simplesmente não senti vontade.

Agora, notando essa minha leve mudança de comportamento, percebo o quanto exagerado soa dizer que tenho medo da solidão. O quanto desesperado é procurar a todo tempo alguém para conversar na internet, o quanto chato é viver entrando em sites e MSN para conversar com pessoas desconhecidas.

Parei. Alugo filmes e bebo sorrindo. Mando mensagens despretensiosas para amigos e ando conversando com mais pessoas. Me fechei pros outros ao meu redor e me abri um pouco pra mim mesmo. Acho que isso era o que faltava.



Ouvindo: Everyone’s At It – Lily Allen

10 críticas:

jhonathan disse...

rammmmm, nao tem graça, pára agora!

FOXX disse...

notou qntos textos seu falam de "mudança de comportamento", e há mudanças mesmo?

Arsênico disse...

ai que tudo... parabéns... é preciso renovar e reciclar as vezes... se não caímos na monotonia... e se vc continuasse como estava... talvez nem conhecesse esse seu novo "EU"...

Felicidades quiridjo!

***

umBeijo!

Guy Franco disse...

Aluga o quê? O que você aluga? Essas coisas precisam serem mencionadas. Sabia não?

Leandro K. disse...

é definitivamente uma boa escolha!

Mauri Boffil disse...

Temos que combinar de beber um dia desses!

Fabiano (LicoSp) disse...

É péssimo se sentir sozinho em uma multidão, mas bom que vc encontrou uma forma de enfrentar este medo d uma maneira mais saudável, se é que existe.

abs

Pollyanna disse...

Tirando o cigarro e o sexo casual, eu to igual (ate rimooou!)!!

voltei, pequeno!
e aparece no meu msn, neee

beeeeijos

Paul disse...

"Me fechei pros outros ao meu redor e me abri um pouco pra mim mesmo."

Adoro essa tendência autista! Faço isso constantemente.

S.A.M disse...

Oi querido, vou me apresentando aqui, afinal é a primeira vez que comento...

:D

Então, cara a melhor coisa que tem é se curtir. Compreender exatamente isso que vc falou... de não ficar desesperado em chats ou msn atras de "pessoas com quem conversar". Vivo também essa mudança e foi ai onde aprendi o valor dos meus amigos e o quanto eles me dão alegrias...

Confesso que quando aprendi a curtir a mim mesmo, me senti mais feliz, menos dependente de certas coisas e hoje eu sou alguém que vive muito mais em paz consigo mesmo....

Boa sorte na sua mudança e que você tenha cada vez mais prazer consigo mesmo nos seus dias!

:)