Niterói

segunda-feira, 7 de setembro de 2009
Artesanato de Antonio de Castro

Ele tinha 16 anos, estudava o Ensino Médio e morava na cidade vizinha. O cheiro de cigarro ainda tava minha boca quando eu bocejei. Tédio. Abandono. Solidão.

Ontem eu jurei que não entrava mais no chat, hoje eu também jurei. Mas acabei de entrar, acabei de ser ignorado por um milhão de caras e acabei de adicionar um menino de 16 anos, que estuda o Ensino Médio e mora na cidade vizinha.

Ontem eu saí de casa com a sensação de que estraguei tudo. Mas eu sempre soube que não havia o que se estragar. Ele era só um contato do chat. Um contato problemático, que me conquistou justamente pelo fato de ser problemático. Mas eu também sempre soube que o problema dele não tinha nada a ver comigo. Apesar de às vezes fingir que tinha. E ele morava na mesma cidade do menino de 16 anos.

Exclui o menino de 16 anos depois de três minutos de conversa, eu nunca namoraria um menino de 16 anos. Se com caras de 20 tem sido difícil, que dirá com meninos de 16 anos, que estudam o Ensino Médio e moram na cidade vizinha.

A mesma cidade do problemático, que tem 20 anos, piadas que me tiram do sério, faz faculdade federal e tem ambição na vida. Tudo o que uma pessoa precisa pra me atrair. Problemas, juventude, humor, inteligência e ambição.

Bloqueei ele porque estraguei tudo, falei um monte de coisas ontem, antes de sair com um outro contato do chat. Eu tava me arrumando pra noitada, bebendo vodka importada com gelo na frente do computador, quando ele volta a ficar online. Me despedi digitando errado, falando coisas sem sentido e comecei uma perseguição pelo celular atrás dele. Pronto, mostrei que sou chato.

Fiquei com esse outro contato do chat, mas sabe quando duas pessoas ficam só por ficar, só para não ficarem sozinhas. Senti isso ontem. Senti que ambos preferíamos estar com outras pessoas.

Mas foi bom, foi legal, foi engraçado. É um dos mais proveitosos contatos do chat.

Estou ouvindo a mesma música repetidas vezes, como se tudo o que está acontecendo me sinalizasse pro fim. Vou ouvi-la até que a letra não faça mais sentido. Até que eu não me identifique. Até que se torne uma música normal.

I try to be patient, but I'm hurting deep inside and I can't keep waiting, I need comfort late at night.

Ouvindo: Scared of Lonely – Beyoncé

6 críticas:

Arsênico disse...

Essa busca insessante pela pessouã que nos completa é triste e cansativa as vezes... mas é assim que temos alguma chance em cruzar com o príncipe encantado dos nossos sonhos...

Boa sorte...

***

umBeijo!

Carlinha Said disse...

Pior que a busca, é a solidão...Eu já me senti mal por entrar em chats, mas sabe que, cada dia eles me reservam boas surpresas?? Pessoas problemáticas, algumas vezes, são um prato cheio pra atração, principalmente quando são viáveis...dá aquela vontadezinha de querer resolver e se envolver...

enfim...

cuide-se...cuide com tua solidão...não se deixe sentir só..

FOXX disse...

aff
essa musica combina tanto com meu fim de semana

Mauri Boffil disse...

Eu queria entender... pq sempre nós estamos em busca de alguém? =/
Beso

Paul disse...

Se me permite... sinceramente, não consigo entender essa sua fissura por chat! meio masoquista! falo mesmo!!

e fiquei curioso com o sonho! me conta! q medo de mim careca!apaguei todas as minhas fotos da época de trote da faculdade só pra não ver mais essa imagem!! hahaha

Candy disse...

Boa música. Bom encontro. Bons momentos... Tudo do bom, por enquanto. Eu sei que você preferia que estivesse melhor, mas aproveite o enquanto está bom assim... Tranquilo, pelo menos... As vezes é de momentos simples assim que sinto falta.

Bjs