12/10/2009

segunda-feira, 12 de outubro de 2009
Artesanato de Antonio de Castro

“Eu vou amar você, respeitar e nunca vou te abandonar.”

Desse jeito ela acabou nossa conversa. A maior conversa de todas. Aquela onde eu digo que sou gay, que durmo com homens, que já me apaixonei por alguns e que quero encontrar um que me ame e a quem eu possa amar.

Ela só chorou quando disse que tinha orgulho de mim, que eu era brilhante e especial. Que não importava como nem com quem, o que ela queria era que eu fosse feliz. Me abraçou e me deu vários beijos no rosto.

Ficou muitos minutos dizendo palavras boas depois de perguntar coisas sobre a minha vida, sobre esses dois últimos anos de descobertas minhas. Me disse que era minha amiga e que eu podia contar com ela para o assunto que fosse.

Ela me pediu ajuda, que precisaria de mim para entender esse mundo que ela não conhecia. Que nós estamos juntos nessa e que sua única preocupação era que as pessoas me ferissem com o que pudesse dizer.

Deixei claro que não me importava com a opinião de todas as pessoas. Que a única pessoa a quem devia algo era a ela. Que a ela devia o que sou hoje. Se ela não estava decepcionada comigo, como ela mesmo dissera minutos atrás, não me interessava a decepção de qualquer outra pessoa.

Saiu do meu quarto dizendo que queria conversar mais comigo, saber mais detalhes pra se inteirar desses dois anos de acontecimentos que ela não viveu. Que não estava acostumada a não ser minha amiga e não saber dos meus segredos.

Na porta ela sorriu de um jeito lindo e me mandou um beijo no ar. Um beijo que senti dentro de mim, junto com a paz e o alívio que me habita ainda agora. Mandei o beijo de volta e ela saiu do quarto. Deitei na minha cama e chorei. Agora de felicidade, de paz.

Ouvindo: Somebody to Love - Queen

7 críticas:

FOXX disse...

e eu estou mto feliz em saber disso
vc merece uma mãe como a sua

Fernando disse...

Parabéns pela coragem, sua e dela. E agora, é encarar tudo que estiver reservado pra você, certo? Aproveite! Bjos.

M. disse...

Poxa, ja tive essa "maior conversa de todas". Mas demorou um pouco pra ela voltar a sorrir pra mim.

Parabéns.

Carlinha Said disse...

Eu admiro pessoas como você, que tem coragem de falar o que pensam, o que sentem e suas opiniões/opções, principalmente, pras pessoas que amam, o que é sempre mais dificil. Parabéns mesmo! Fico inteiramente feliz quando isso acontece!

A.M.B disse...

vc, mais do que ninguém, merece um mãe como a sua ;).

Beijaooo!

Fabiano (LicoSp) disse...

Nada como nos abrir com nossas mães...a conversa inicial com a minha foi complicada, mas depois nos entendemos bem... ela até em danceteria gay já foi pra conhecer.
tudo de bom.

Parabens por esta data...
bjs

Leandro K. disse...

estou ficando viciado no seu blog =)

achei tão fofo o post todo!