Muscle

sábado, 24 de maio de 2008
Artesanato de Antonio de Castro

Uma vez eu já falei aqui, no post Chuva de Verão, sobre um colega meu com o qual cresci e com o qual fiz as primeiras descobertas homossexuais. Pois bem, depois daquele dia, a gente não se viu mais.

Ontem, quando eu cheguei em casa minha mãe lembrou de uma história que ouviu, ao conversar com a vizinha, ou seja, a mãe dele. A mãe dele é muito parecida comigo, sempre olhando torto para todos na rua e sem dar confiança muito para as pessoas.

Entretanto, assim como eu, não resiste a uma boa fofoca. E a da vez era uma história estranha de que o vizinho da frente, um garoto também reservado, gostoso e sarado, malha até dizer chega, cabelos escuros e lisos, pele bronzeada de praia e um peitoral largo e musculoso de matar qualquer um... então, a história se baseava no fato de esse menino estar em um site de garotos de programa homossexuais.

Quando a minha mãe me disse isso, a primeira coisa que me veio a cabeça foi: o que ela – a minha vizinha – estava fazendo em um site de garotos de programa homossexuais? Para minha maior surpresa, minha mãe disse que foi justamente o que ela perguntara na hora.

Aí eu morri de rir, imaginando minha mãe perguntando isso para a vizinha e a cara da minha vizinha sem ter o que dizer. Minha mãe disse que ela ficou branca, gaguejou e acabou dizendo que era o filho dela, ou seja, o menino do post citado anteriormente, que estava na internet e chamou ela.

E aí eu fiz uma outra pergunta para minha mãe: e o que ele estava fazendo nesse site? Minha mãe não soube me responder. Só queria saber como poderia entrar no site também e averiguar os fatos. Na verdade, acho que ela ficou empolgada com a idéia de poder ver o vizinho maravilhoso pelado a sua disposição e eu também.

Ensinei a ela e fui tomar meu banho, imaginando o quanto aquele menino com quem tive a primeira experiência gay da minha vida ainda era gay. O quanto era importante a namorada dele e todo o resto que ele sustentava.

Fiquei imaginando ele na internet, à noite, no escuro de seu quarto onde já aconteceram coisas que eu sei, vendo homens nus, do mesmo jeito que eu faço quando estou muito carente. Fiquei imaginando por que ele não poderia fingir ser mais homem do que realmente é se eu tenho fingido com a garota do trabalho, se o menino com quem eu estou começando a ter um estranho caso está fingindo com a namorada.

Enfim, fiquei imaginando quanto aquilo tudo seria possível o quanto seria plausível e compreensível. Se ainda haveria possibilidade de eu ser chamado tomar banho de piscina com ele e tudo caminhar para algo bem mais profundo do que a piscina propriamente dita.

Depois fiquei me vendo e pensando o quanto estou desesperado. O quanto estou banalizando o sexo justo agora que estou com uma pessoa que gosta de mim e me trata bem. Terminei de tomar meu banho e tirei minha mãe do computador, triste por não ter conseguido achar o bendito vizinho em poses sensuais descritas pela vizinha fofoqueira.

Era a minha vez de tentar. E não é que o garoto estava lá. Excitado e tudo, nu em pelo e músculos, como veio ao mundo. Ainda mais bonito do que já é normalmente. Com outro nome, com link para um perfil falso do orkut, pose de fraude.

Mas se fosse fraude seria muito estranho aquela foto ser tão perfeita. Tudo tão perfeito. Eu tenho que admitir que nunca tinha pensado nele daquele jeito, mas ontem, ainda molhado do banho, e vendo ele assim, digamos por completo, consegui vê-lo com outros olhos.
Ouvindo: Pumpkin Soup - Kate Nash

8 críticas:

Menina da lua disse...

É engraçado quando olhamos as situações por outro ângulo; sempre muito engraçado.


Abraço.

Nadezhda disse...

Estou só imaginando a cara da vizinha quando sua mãe perguntou!

(E Kate Nash é muito bom)

;)

Kamilla Barcelos disse...

Da forma q vc narrou eu fiquei curiosa p/ ver esse seu vizinho! hehe
O engraçado qdo alguém tenta fazer uma fofoca é quando ela própria se enrosca na hora de contar! hauahua

Leo disse...

É triste pensar em como todos nos enganamos, né? Na tentativa de enganar aos outros, enganamos a nós mesmos sobre a nossa sexualidade.
Imagino a fria em que esse cara não tá agora que toda a vizinhança sabe não apenas que ele é garoto de programa, mas gay ainda por cima.
Ex-gay não existe, né? Pelo menos eu não acredito. E acho que o simples fato de estarmos aqui, conseguindo escrever sobre o que sentimos, já sugere que estamos nos enganando menos, né? Pelo menos reconhecemos os sentimentos e não montamos orkuts com milhões de fotos de namoradas, mostando o quanto somos garanhões.
Agora, manda o link desse garoto, po! Fiquei curisoso :p
bjs

Goiano disse...

nossa fique com dó do vizinho q leva uma vida limitada...
mas vem ca... cade o link para eu ver o moreno de peito largo?
uauhauh
gente
eu quero ver tbm
ja que todo mundo viu

bjos

Talvez eu conte... um dia. disse...

Esse pessoal nem pensa antes de fazer fofoca... é cada um que aparece! ahahha

mundo a fora disse...

eu tava esperando um diabo mesmo qdo entrei aki .kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

adorei! parabens!!

bjokaaaaaaaaaaaaaaaa

Nyna disse...

Mas que vizinho hein.
ahuahaa´
É verdade.. conclusões precipitadas.

=]